Crônicas

Cointreau, molto piacere!

A bela dama fora apresentada ao bom Cointreau, que a deixou motivada e alegre na mesma hora… o seu jeito de levá-la ao êxtase em poucos minutos deixou-a sensível a ponto de querer explorar um pouco mais aquela situação…
Já noite alta, a moça viu a lua espreitando por detrás do alto muro branco. A sua visão ficou turva, contudo, logo voltou ao normal, dando lugar à contemplação do momento… Cointreau havia ficado na sua cabeça, ele viera acrescido de uma energia inebriante, uma alegria constante e um fogo descomunal… algo que a bela só tinha experimentado nos seus tempos de mocidade. Hoje mulher, porém jovem ainda, capaz de analisar os factos numa perspectiva mais consciente, não se deixara levar tão facilmente por esses sentimentos avassaladores que se apresentaram a si naquela noite. Ela tivera adiado aquele momento para uma outra ocasião que se achasse pertinente, precisava de se sentir mais segura, a vontade e o desejo de se entregar ao bom Cointreau parecia ser uma decisão inadiável e incontrolável. Os flashs daquela noite se mostravam tão nítidos, um filme passava na sua mente constantemente sobre os factos ocorridos, era tarde demais, Cointreau estava na sua memória e deixara saudades terríveis. A dama indagava o que poderia acontecer dali para a frente, algo mais avassalador ou poderia ela esquecer as sensações experimentadas? O calor que brotava do seu corpo, o coração acelerando cada vez mais forte, a mente divagante, a sensação de perigo a acometia, todavia, ela achava interessante a situação. E quis continuar, pelo menos por um pouco mais…
Procurou Cointreau a fim de obter maiores experiências que revelassem o intento do mesmo, teria ele algum sentimento profundo e oculto por ela a ponto de o revelar?
A jovem demonstrara atitude confiante, estava firme do seu objetivo, desejava revelar essas informações o quanto antes e foi em busca do Cointreau…
Avistou-o a poucos metros de uma cabana, próximo ao lugar onde se haviam visto a primeira vez. Foi andando na sua direção e quando ele a viu, o seu olhar brilhou. Não trocaram palavras algumas pois as suas bocas se entregaram rapidamente ao desejo lascivo, esquecendo o antes e o depois (viva o carpe diem!). Ficaram ali por instantes, no entanto, acharam mais apropriado se dirigirem para a tal cabana, lá poderiam ficar a sós confortavelmente. Os seus corpos se descobriram, houve fusão de calor intenso, algo transcendental, inédito, passaram assim por horas até adormecer…
A dama acordou, vestiu-se e saiu sem nada dizer, agora era ela que queria deixá-lo motivado para a procurar… Assim continuou seu percurso, transbordando de insana alegria aguardando pelo bom Cointreau. Foi para sua casa um pouco cansada, afinal o dia havia sido longo e com bastantes emoções… Ela só queria dormir, sem pensar no amanhã… foi isso mesmo que ela fez… deitou-se no leito sorrindo radiante pelos acontecimentos e adormeceu como princesa para somente acordar no dia seguinte… Seria uma nova história…
by:Psy Princesa do Nilo
in: 02 julho 08 
todos os direitos reservados / all rights reserved
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s